Resenha - Perdida

Livro: Perdida
Autora: Carina Rissi
Editora: Verus
Páginas: 364
Sinopse: Sofia vive em uma metrópole e está acostumada com a modernidade e as facilidades que ela traz. Ela é independente e tem pavor à mera menção da palavra casamento. Os únicos romances em sua vida são aqueles que os livros proporcionam. Após comprar um celular novo, algo misterioso acontece e Sofia descobre que está perdida no século dezenove, sem ter ideia de como voltar para casa – ou se isso sequer é possível. Enquanto tenta desesperadamente encontrar um meio de retornar ao tempo presente, ela é acolhida pela família Clarke. Com a ajuda do prestativo – e lindo – Ian Clarke, Sofia embarca numa busca frenética e acaba encontrando pistas que talvez possam ajudá-la a resolver esse mistério e voltar para sua tão amada vida moderna. O que ela não sabia era que seu coração tinha outros planos... “Perdida” é uma história apaixonante com um ritmo intenso, que vai fazer você devorar até a última página.




Perdida é um livro despretensioso, então não adianta ir com muita expectativa. Pode ser definido como uma comédia romântica, e que fique claro que esse é o foco da autora. Sim, o livro poderia ter abordado muitas outras coisas referentes ao século XIX, mas o foco é o romance entre Sofia e Ian, e nisso a autora se saiu muito bem.
Sofia é inteligente, divertida e muito engraçada. Como o livro é narrado em primeira pessoa, ri muito com as coisas que a Sofia pensava – e falava! Como a maioria dos jovens do século XXI, Sofia é muito ligada à tecnologia e acredita piamente que não consegue viver sem seu celular (quem aí se identifica?). Como é órfã, Sofia não tem muitas relações pessoais, sendo Nina sua única amiga e confidente (e uma personagem bem legal do livro, mesmo não aparecendo tanto).
Quando vai parar no século XIX, Sofia fica desesperada, é claro! Como sobreviver num lugar pacato, sem carros, prédios, sem tecnologia e sem – pelo amor de Deus – um banheiro digno?
As descobertas de Sofia sobre as diferenças entre os séculos são hilárias e eu me peguei rindo em várias partes. Todas essas diferenças ela descobre através de Ian Clarke, o homem que a encontra e que a abriga em sua casa até que ela possa voltar para casa.
Desde o momento em que Sofia e Ian se conhecem, a narrativa é totalmente focada neles. Por isso que é importante ressaltar que esse livro é um romance, e nem adianta esperar por uma ampla contextualização do século XIX. Claro, isso traria mais riqueza à obra, a tornaria mais verossímil, mas não acho que essa tenha sido a intenção da Carina. Agora, se a intenção foi nos fazer rir e torcer loucamente pelo casal, ela acertou em cheio!
Ian é um dos pontos fortes do livro. Ele é bonito, inteligente, educado e um perfeito cavalheiro. E o legal é que isso não soa tão forçado, porque ele se comporta como um rapaz do século em que ele se encontra. A interação dele com Sofia, o encontro desses dois mundos tão diferentes, dá o tom da relação deles no início. E é engraçado como eles conseguem se entender, mesmo tendo uma linguagem diferente. As palavras que saem naturalmente de Sofia são estranhas para Ian, e essa relação dos dois promete muitas risadas.
Mas o romance entre eles também é interessante. É construído aos poucos, à medida que eles vão estreitando os laços, e Carina construiu muito bem essa química entre os dois. O que é legal é que não é um romance puramente inocente. Sendo uma mulher do século XXI, Sofia não é uma menina tolinha, e ela repara – e muito – nos atributos físicos de Ian. Então, claro, há o amor romântico, mas o desejo físico também está lá. Da mesma forma, Ian pode ser um rapaz educado do século XIX, mas ele ainda é um homem e tem seus desejos. Achei legal que a autora não deixou isso de lado, sabendo equilibrar bem entre um romance doce e o desejo que havia entre os dois.
No livro, ainda temos outros personagens legais, como Elisa, a irmã mais nova de Ian, e Madalena, a carismática cozinheira dos Clarke.
Não quero me estender muito, porque senão vou acabar dando spoiler, mas como opinião final, achei Perdida um livro muito bom, uma leitura fluida e rápida (li em duas noites) e divertida. Me fez pensar porque não li esse livro antes.

4 comentários:

  1. Adorei a resenha <3 já tava ouvindo falar bastante desse livro e agr to quero mt ler, acho que o Ian vai entrar na minha lista de crushs literários hahaha

    Geekchicofc.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho tentado resistir aos encantos de alguns personagens literários, mas com o Ian foi impossível! Haha.
      Eu demorei pra começar a ler esse livro, mas depois não quis mais parar, é muito bom. Espero que goste quando for ler :)

      Excluir
  2. Oi!
    Fiquei pensando a mesma coisa quando terminei a leitura:por que não li esse livro antes?
    Carina é brilhante nas suas histórias,nos faz rir sem fazer esforço e no final sempre terminamos com um sorriso bobo.
    É difícil não ser envolvido pela mágica da escrita da Carina.
    Já leu outros livros dela?São incríveis também!
    Abraços!

    http://livreirocultural.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é? É aquele livro que a gente não espera tanta coisa, mas acaba sendo muito legal.
      Achei a escrita da autora brilhante, principalmente para o gênero que ela escreve.
      Bom, terminei de ler Encontrada (acabei de postar a resenha aqui), e estou lendo Destinado. Pretendo ler os outros livros dela também!
      Abraços!

      Excluir