Resenha - Inferno no Colégio Interno

Livro: Inferno no Colégio Interno
Autor: Lemony Snicket
Editora: Seguinte
Páginas: 208
Sinopse: Nada de aventuras emocionantes com final feliz: Violet, Klaus e Sunny Baudelaire são legais e inteligentes, mas a vida deles está repleta de má sorte e infelicidade. Neste livro, os órfãos mais azarados do mundo enfrentam caranguejos que mordem, exames hiper-rigorosos e os castigos duríssimos de um internato. O colégio se transformou em mais um desastroso episódio de suas vidas horríveis. Desta vez, eles precisam escapar de fungos gotejantes, assistir a recitais de violinos, domar o sistema métrico e sobreviver a exercícios de D.O.R. Violet, Klaus e Sunny têm o poder de atrair desgraças. Quem gosta de histórias alegres não deve nem abrir este livro, avisa o autor, pois as histórias de dos Baudelaire são sempre uma desventura pior do que a outra.



O quinto livro, chamado Inferno no Colégio Interno, vem com algumas novidades para o leitor.
Dessa vez, os órfãos Baudelaire não estão com um tutor e sim no colégio interno, a Prep Prufrock. Lá, eles conhecem o vice-diretor Nero, que é um péssimo violinista e inferniza a vida das crianças, fazendo de Sunny sua secretária e colocando Violet e Klaus em aulas extremamente chatas. Além disso, há novos personagens que se revelam importantes no enredo: os trigêmeos Quagmire, que também são órfãos.
Na verdade, um dos irmãos está desaparecido, então nesse volume só conhecemos Duncan e Isadora. Eles se tornam amigos dos órfãos e tentam sempre ajudá-los.
Não bastasse as aulas chatas e o vice-diretor autoritário e com regras ridículas, os irmãos Baudelaire e Quagmire ainda têm que suportar Carmelita Spats, uma aluna irritante que cisma de pegar no pé dos órfãos.
E, é claro, o grande vilão Conde Olaf também está presente no livro, dessa vez na pele do instrutor Ghengis (isso nem chega a ser mais spoiler, gente, porque ele vive se disfarçando e, antes mesmo dele aparecer, já sabemos de seu disfarce).
Se os órfãos Baudelaire já sofreram no livro anterior, nesse livro não poderia ser muito diferente. O instrutor Ghengis submete Violet, Klaus e Sunny a uma situação extrema em seu plano diabólico de tornar-se tutor dos órfãos e se apoderar de sua fortuna. Deu pena dos três Baudelaire de vê-los tendo que obedecer às ordens do instrutor, mesmo já sabendo que na verdade ele é o conde Olaf.
A parte boa desse livro é a presença dos irmãos Quagmire, que estão sempre tantando animar os Baudelaire, não importa as adversidades. Eu senti como se os Quagmire fossem a projeção de nós, leitores. São os personagens que apoiam e tentam de todas as formas ajudarem os Baudelaire.
O final do livro deixa claro que ainda teremos mais dos irmãos Quagmire nos próximos volumes, o que eu achei bem legal porque foram personagens muito fáceis de eu gostar. Sem contar que novamente, Lemony Snicket nos deixa com aquela vontade de saber como os Baudelaire vão lidar com a nova reviravolta que o conde Olaf impôs a eles.
 


2 comentários:

  1. Oi! Eu amo essa série, tanto que a li toda 2x seguidas. Eu achei esse livro muito legal, mas passei raiva com esse pessoal do colégio, sao todos estranhos! Espero que voce goste dos próximos.
    Beijo, http://leitoraencantada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já leu duas vezes? Uau!
      Eu estou adorando a série, ainda não consegui ter uma boa continuidade por conta de outras leituras pendentes, mas estou adorando <3
      Já sigo teu blog <3
      Beijos

      Excluir